Fuinha

Martes foina

Classificação científica
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Carnivora
Família Mustelidae
Género Martes
Espécie Martes foinha

Características:

– É dotada de um corpo alongado e elegante, que mede entre 40 e 50 cm e uma cauda comprida e espessa que mede entre 23 e 27 cm;

– As fêmeas são de menores dimensões que os machos;

– O seu peso varia entre 1,1 e 2,5 kg;

– Possui membros curtos com 5 dedos que possuem garras fortes e não retrácteis, e a sua cabeça é larga e mais clara que o resto do corpo, as orelhas são salientes e arredondadas e o focinho é adelgaçado;

– A sua pelagem é castanha, possuindo uma mancha branca (ou até ligeiramente amarelada) na zona da garganta e do peito, que se estende pelos membros anteriores, estando subdividida na zona peitoral, por uma faixa longitudinal de cor igual à do resto do corpo;

– As patas são mais escuras que o resto do corpo;

– São excelentes trepadoras de árvores e no chão deslocam-se em pequenos saltos.

– Possui uma longevidade de cerca de 10 anos.

Habitat:

– Tem preferência por regiões arborizadas ou rochosas, evitando terrenos baixos, abertos ou com poucas árvores;

– Em Portugal, também pode viver em associação com o Homem, procurando refúgio nos estábulos, celeiros e sótãos existentes em ambientes rurais.

Alimentação:

– Possui uma dieta muito variada, dependendo da disponibilidade dos alimentos;

– Alimenta-se essencialmente de pequenos mamíferos, aves, insectos e ovos;

– Alimenta-se também de frutos e de todo o tipo de desperdícios deixados pelo Homem;

– Tem por hábito guardar as sobras das refeições junto da toca (as suas refeições são consumidas quase a totalidade), para consumo posterior em períodos de escassez.

Predadores:

– Praticamente não tem inimigos naturais, podendo, todavia, os juvenis, ser vítimas de grandes carnívoros e aves de rapina;

Reprodução:

– O acasalamento pode ocorrer em qualquer mês do ano, porém é mais frequente entre Fevereiro e Maio e entre Julho e Setembro;

– Possui o fenómeno de ovo-implantação retardada (o ovo, embora fertilizado, só se implanta no útero alguns meses depois da fecundação (3 a 10 meses));

– O tempo de gestação é de 30 dias e as crias nascem na Primavera, normalmente em número de 3, podendo chegar a 7;

– Os cuidados parentais estão ao encargo da fêmea, deixam de ser amamentadas por volta das 8 semanas e entre o 2º e o 3º mês de idade as crias começam a sair da toca, acompanhando a progenitora durante 2 a 3 semanas.

Estado de conservação:

– Faz parte do anexo III da Convenção de Berna (espécie parcialmente protegida, sujeita a regulamentação especial) e em Portugal é considerada não ameaçada (NT);

– Os seus principais factores de ameaça são a destruição do seu habitat, a perseguição ilegal (devido ao facto de ao atacar galinheiros, matar mais presas do que aquelas que necessita e por ser considerada, em zonas de caça, erradamente, predadora de espécies cinegéticas). Ocorrem também mortes por atropelamento.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: