Esquilo-vermelho

Sciurus vulgaris

Classificação científica
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Rodentia
Família Sciuridae
Género Sciurus
Espécie Sciurus vulgaris

Características:

– É um mamífero de pequeno porte;
– O comprimento do corpo é de 18-24 cm e a cauda mede cerca de 17 cm.
– Os juvenis pesam 100-150 g, podendo os adultos atingir as 450 g;
– Os indivíduos desta espécie podem apresentar pelagens de cores diferentes, desde o vermelho vivo ao preto, passando por toda uma gama de cinzentos e castanhos;
– O vermelho-arruivado está associado a áreas quentes e secas (e.g. florestas de folha caduca);
– As cores mais escuras a zonas frescas e húmidas (florestas de compostas e de coníferas);
– O ventre, mais claro, é geralmente branco;
– Os olhos e as orelhas são grandes, tendo estas na extremidade um tufo de pêlos, que atinge maiores dimensões no Inverno e que desaparece com a chegada do Verão;
– A cauda é comprida e bastante peluda, servindo de “cobertor” nos períodos mais frios e é importante ao nível do equilíbrio;
– Possui uma longevidade de cerca de 7 anos.

Habitat:

– É um habitante das florestas de coníferas e compostas, que lhe permitem obter uma maior disponibilidade de alimento ao longo do ano;
– Encontra-se por vezes associado ao homem, sendo comum em alguns parques urbanos. Nas florestas e bosques, constroem os seus ninhos junto ao tronco principal das árvores mais velhas – pois só a partir de uma certa idade é que as árvores produzem sementes – ou em bifurcações;
– Cada esquilo possui mais do que um ninho, sendo assim mais fácil encontrar um refúgio para escapar aos predadores. Estes ninhos têm uma forma esférica, com cerca de 30 cm de diâmetro, e são construídos com galhos, penas, musgo, folhas e erva seca;
– Por vezes são utilizados buracos naturais nos troncos, ou ninhos abandonados por aves. O ninho usado durante a reprodução é construído com maior cuidado e pode ser usado em diferentes anos.

Alimentação:

– Essencialmente baseada em matéria vegetal. Os seus alimentos preferidos são as sementes de coníferas e caducifólias;
– Podem ainda consumir cogumelos e outros fungos, raízes e flores, insectos, minhocas e ovos retirados do ninho de aves. As cascas de certas árvores fornecem-lhes um suplemento de minerais.

Predadores:

– Como predadores naturais saliente-se o açor – perito em caçar em ambientes fechados – e a marta – uma ágil trepadora. No solo, raposas, gatos-bravos e domésticos podem ser um incómodo.

Reprodução:

– As fêmeas podem ter duas ninhadas por ano, que correspondem aos picos de reprodução, que acontecem na Primavera e no Verão. No entanto, podem-se reproduzir praticamente em qualquer altura do ano, dependendo do clima e da disponibilidade de alimento;
– Para poderem acasalar com uma fêmea, vários machos exibem-se, revelando a sua agilidade e todo o rol de acrobacias de que são capazes, entre os troncos e ramos das árvores;
– O período de gestação é de cerca de 36-39 dias, após o qual podem nascer entre 1 a 8 crias.

Estado de conservação:

– Em Portugal tem o estatuto de Rara.
– A morte por atropelamento é de alguma forma frequente. As doenças e a perda de habitat, bem como a sua fragmentação, têm contribuído para uma redução das áreas ocupadas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: